Um Blog de percepções, de afetos e algumas bobagens cotidianas.

segunda-feira, 28 de setembro de 2009

andando

aos poucos o caminho se abre
ela sente que o vento bate e faz voar o seu cabelo enquanto suas sardinhas se desorganizam com a luz do sol.
ela não gosta do sol quando está forte, mas de manhã ele é realmente uma delícia, ele é um carinho morninho na base do seu nariz.
ela percebe que se não fosse a poluição as árvores poderiam estar bem mais verdes, mas que as que ela vê da janela do seu quarto são realmente bem mais verdes do que as que a gente vê no centro da cidade.
ela sente que a água nunca foi tão molhada e que o frio nunca foi tão gelado e que o amor que ela sente pelas coisas que ela tem nunca foi tão profundo.
ela sente que nada disso seria assim tão pleno se ela não tivesse percebido.
se ela não tivesse parado, olhado em sua volta. olhado para os lados e depois para frente.
olhado para os lados e depois para frente e depois para o céu.

olhado enfim para dentro dela e percebido que.
tudo é realmente extremamente complexo.
mas nem por isso deixa de ser completamente simples.

Nenhum comentário: